RSS | Archive | Ask

Following

Last.fm

Find


acesso gratis

online
Powered by Tumblr
28 Outubro 12

quem eu sou?

nunca soube o que eu sou, quem eu sou. um pseudo designer metido a fotógrafo e que tem apreço por todo tipo de arte existente nesse mundinho em que vivo. mas não, ninguém me conhece assim. nem sei se eu mesmo me reconheço assim. quando perguntam: “quem é ele?”, respondem: “é o fulano”. simples, direto, sem nenhuma característica ou algo que me engrandeça. mas aí penso: sempre que eu pergunto sobre alguém, me respondem fazendo referência a algo em que a pessoa seja bom. “é o joão, modelo”, “é o antônio, fotógrafo”, “é a ana, que trabalha na loja tal”. sempre o nome acompanhado daquilo que é característica da pessoa. mas comigo não, comigo não acontece assim. só que eu sinto falta disso. não da predefinição e limitação da pessoa a uma única característica. mas sinto falta de ser lembrado juntamente com uma, duas, cem. não importa. 

(Fonte: threeinthemorning)

Posted: 10:51 PM
posso não ser bom em várias coisas, posso não combinar com você em outras diversas. mas nenhum outro vai estar ao seu lado como sempre estive, nenhum outro pensará em ti da maneira que eu sempre penso, nenhum outro te amará como eu.

(Fonte: threeinthemorning)

10 Outubro 12
é, eu desisto. desisto de tudo aquilo que vem me feito mal, daquilo que tem permanecido distante, que tem me evitado ao máximo e de tudo aquilo que não ache que eu mereça uma única chance. desisto daquilo que cria oportunidades para outras pessoas enquanto estou aguardando sentadinho ali, no início da fila. desisto daquelas pessoas que só se lembram de mim quando a carência bate, quando o desespero consome e não se encontra amparado por mais ninguém. desisto daquelas pessoas que sabem que sempre estarei aqui, mas quando eu precisar, elas nunca estarão. eu achei que nunca iria dizer isso, mas eu desisto.
— Filipe Arantes

(Fonte: threeinthemorning)

25 Setembro 12

- ele é meu amigo.
 

- esse é meu amigo.
 

– sempre que você se refere a mim, me apresenta como seu amigo?
- sempre, claro. não somos amigos?
– somos, sim. mas… sei lá, esquece.
- quando você se refere a mim, como é? 
– é complicado, não consigo simplesmente dizer que você é só meu amigo, ou te relacionar a algo tão simples assim. é mais que isso, é mais complexo. não sei ao certo o que respondo, mas o que me vem na cabeça é que você é aquele que sempre quero por perto, sempre quero notícias e sempre estarei procurando estar ao lado. penso sempre que é aquele que eu fico mandando sms durante todo o dia, toda a noite, pra contar coisas banais como quando começa a chover, ou que estou preso no trânsito. aquele que eu digo bom dia, boa tarde, boa noite. que eu procuro online quando estou na internet e que me preocupo quando some por algumas horas. penso naquele sorriso que, tímido, se faz presente quando está comigo. penso naquele olhar de lado, receoso, mas tão profundo que me faz mergulhar ternamente e sentir como uma espécie de hipnose. aquele que por pelo menos um ano eu pensei, talvez todos os dias, talvez mais de uma vez em cada um deles. aquele que mantive cautela, que não quis ir rápido, que não quis que acabasse, nem estragasse. aquele que tem minha dedicação, minha atenção, meu esforço. aquele que crio forças e me mantenho firme pra ver alguns segundos que fosse. alguém que eu converso sobre, que minha mãe nunca viu, mas sabe quem é. que meus amigos já estão familiarizados e acham estranho quando não está comigo. alguém que eu penso no passado, penso no presente, penso no futuro. alguém que me motiva, me revive, me acorda, me colore. alguém que me faz sorrir. alguém que eu amo.

(Fonte: threeinthemorning)

20 Setembro 12

não sei o que acontece. é estranho. tão difícil de entender quanto o fato de eu não gostar de feijão. é um caso isolado, é uma particularidade que me assusta. por que tanta hesitação? por que não dar uma chance? por que não tentar, não arriscar? por que o medo de ser feliz? por quê? é mais estranho tudo isso sabendo que te faço bem, que te acolho, que te consolo, que te faço feliz. e nem namoramos, nem temos nada oficial. só permanecemos juntos, sem nem estar. só queremos o outro, sem no tempo pensar. será por falta dos dizeres? será por falta daquelas três simples palavras que ainda não disse? nada sei, a não ser o fato de que por falta de demonstrações, insistências e dedicação não foram. mas eu ainda quero, ainda serei, com você.

(Fonte: threeinthemorning)

26 Agosto 12
reprimo sentimentos comprando coisas
— depois olho pra todas as coisas e vejo que não adiantou nada

(Fonte: threeinthemorning)

25 Agosto 12
Os sinos da catedral agora tinham um som ao mesmo tempo mais triste e mais remoto para mim, enquanto eu apressava o passo, evitando ser observado, do que jamais tiveram antes; assim também os acordes do velho órgão soavam em meus ouvidos como música fúnebre; e as gralhas, que revoavam em torno da torre cinzenta e pousavam nas árvores altas, despidas de folhas, do jardim do priorado, pareciam me dizer que o lugar estava mudado, e que Estella partira de lá para sempre.
— DICKENS, Charles. Grandes Esperanças. Pag 539

(Fonte: threeinthemorning)

Themed by Hunson. Originally by Josh